Nutrição de Plantas natural
Missão | Equipe | Fale conosco
   

Principal
Culturas
Algodão
Café
Cana-de-açúcar
Carambola
Goiaba
Mamão
Manga
Maracujá
Melancia
Milho
Nutrição & Qualidade
Sementes
Frutas
Hortališas
Ensino
Graduação
Pós-graduação
Pesquisa
Estágios
Projetos
Teses e Dissertações
Extensão
Laboratórios de rotina
Amostragem de folhas
Eventos
Livraria Online
Links
Webmail

Busca no site
digite + enter

 

 

 

 

Maracujá

TEXTO BÁSICO

Texto básico > Absorção e movimento de nutrientes nas plantas

A absorção de um nutriente é a sua entrada, na forma iônica ou molecular, nos espaços intercelulares ou em organelas vivas da planta. Dessa forma, podem-se considerar "absorvidos", tanto os nutrientes advindos do processo radicular como do foliar. Na Tabela 1 são apresentadas as principais formas em que os nutrientes são absorvidos e, na Tabela 2, as formas de caminhamento no solo.

Após a absorção, o nutriente é transportado pelo interior da planta, dando-se a esse processo o nome de translocação. O transporte pode ser feito com o nutriente estando ou não na mesma forma em que foi absorvido, indo de um órgão (ou região) a outro da planta, em geral, da raiz para as folhas. Esse movimento é a favor da corrente transpiratória, via xilema, e, portanto, todos os nutrientes são considerados móveis quanto à translocação.

Tabela 1. Formas absorvidas pelas plantas

Nutriente Preferencial Eventual
Nitrogênio NO3- NH4+
Fósforo H2PO4- HPO4-
Potássio K+  
Cálcio Ca++  
Magnésio Mg++  
Enxofre SO4-  
Boro H3BO3 H2BO3-
Cloro Cl-  
Cobre Cu++  
Ferro Fe+++ Fe++
Manganês Mn++  
Molibdênio MoO4--  
Zinco Zn++  
Fonte: (MALAVOLTA, 1980); (RAIJ, 1983)

Tabela 2. Contribuição relativa da intercepção radicular, do fluxo de massa e da difusão no fornecimento de elementos para a cultura do milho num solo fértil barro limoso (MALAVOLTA, 1980)

Elemento Quantidade necessária para uma colheita de 9 t ha-1 kg ha-1 fornecidos por
Intercepção Fluxo de massa Difusão
N 170 2 168 0
P 35 1 2 33
K 175 4 35 136
Ca 35 60 150 0
Mg 40 15 100 0
S 20 1 19 0
B 0,2 0,02 0,7 0
Cu 0,1 0,01 0,4 0
Fe 1,9 0,2 1,0 0,7
Mn 0,3 0,1 0,4 0
Mo 0,01 0,001 0,02 0
Zn 0,3 0,1 0,1 0,1

A redistribuição é a transferência de um elemento de um órgão (ou região) a outro da planta, em forma igual ou não à que foi absorvida, tendo, entretanto, sofrido metabolização. A redistribuição ocorre através do floema, levando o nutriente das áreas de síntese (folhas) para as áreas de armazenamento/crescimento (frutos). É no movimento de redistribuição que ocorrem diferenças entre os nutrientes quanto à mobilidade, conforme mostra a Tabela 3, extraída de MALAVOLTA (1980).

Tabela 3. Mobilidade comparada dos nutrientes aplicados nas folhas. Em cada grupo os elementos aparecem em ordem decrescente (MALAVOLTA, 1980).

Altamente móveis Móveis Parcialmente móveis Imóveis
Nitrogênio Fósforo Zinco Boro
Potássio Cloro Cobre Cálcio
Sódio Enxofre Manganês  
  Magnésio Ferro  
    Molibdênio  

O aspecto mobilidade é de fundamental importância na nutrição das plantas, principalmente nas perenes, que recebem adubação de forma localizada e exploram o mesmo volume de solo por vários anos.

Texto básico > Absorção e movimento de nutrientes nas plantas

 

 

 

   
© 2004 Renato de Mello Prado. Todos os direitos reservados. Desenvolvido por Natural Soluções Setoriais